• qui. jul 18th, 2024

AGOSTO É PARA TODOS OS GOSTOS NO TEATRO RIVAL PETROBRAS

By

MPB, samba, concursos, coral, atração internacional, homenagens, dança e humor estão no cardápio variado da casa mais democrática do Rio

Agosto começa cheio de bossa e suíngue no Teatro Rival Petrobras. No dia 1º, a cantora Amanda Bravo vai reunir vários artistas para homenagear três nomes do sambalanço: Orlandivo, Ed Lincoln e Durval Ferreira, pai de Amanda. Conhecido como a “bossa que dança”, o sambalanço contou com outros intérpretes que também serão reverenciados no espetáculo, como Miltinho, Wilson Simonal, Elza Soares, Emílio Santiago e Carlos Imperial. Surgido no final dos anos 1950 e início dos anos 1960, nas boates de Copacabana e nos bailes dos subúrbios do Rio, o ritmo misturava jazz, samba, bossa nova e música latina. Para matar a saudade do sambalanço, Amanda vai contar com um time só de craques: Leny Andrade, Gilson Peranzzetta, Aurea Martins, Victor Biglione, Osmar Milito, Maurício Einhorn, Jovi Joviano e Dóris Monteiro. Imperdível!

Amanda Bravo & convidados – dia 1º (quinta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 60 (inteira)

R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Espetaculo Isto e Brasil com Ana Botafogo 2009

E a dança continua no palco do Teatro Rival nos dias 2 e 3, com o espetáculo “Isto é Brasil”, em que Carlinhos de Jesus convida Ana Botafogo. O roteiro mostra a trajetória da dança popular no Rio de Janeiro, passando por vários ritmos, como o jongo, o choro e o samba em seus muitos estilos. Carlinhos de Jesus vai se apresentar com 12 dançarinos de sua companhia e com a participação especial da bailarina clássica Ana Botafogo em quatro números: “Garota de Ipanema” num pas de deux com Carlinhos; no choro “Feitiço” onde fará um solo; e outros duos com Carlinhos em “Divina dama” e “Batucada”. O final promete ser apoteótico com o icônico samba de Ary Barroso: “Aquarela do Brasil”

Espetáculo “Isto é Brasil” – Carlinhos de Jesus convida Ana Botafogo – dias 2 e 3 (sexta-feira e sábado), às 19h30
Setor A / Mezanino A

R$ 100 (inteira)

R$ 80 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 50 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Setor B / Mezanino B
R$ 90 (inteira)
R$ 70 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 45 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E tem também humor na programação de agosto do Teatro Rival Petrobras. É a Terça do Humor, um espetáculo com quadros divertidos, esquetes, números musicais e stand up. É comédia da boa com muita irreverência, levando para o palco grandes artistas da noite carioca e sucessos do teatro de revista. O comando fica a cargo da drag queen Karina Karão, que promete receber comediantes e drags uma vez por mês. Nesta estreia, o espetáculo contará com Lorna Washington, Desirée, Wanda Camburão, Karoline Absinto e Stefane Camburão.

Terça do Humor com Karina Karão e grande elenco – dia 6 (terça-feira), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 40 (inteira)

R$ 20 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

dia 7 promete ser bem animado no Teatro Rival Petrobras com Arthur Espíndola e o samba do Pará para o Brasil. Compositor, intérprete, multi-instrumentista e produtor, o artista vai se apresentar na casa pela segunda vez, trazendo sambas autorais e de compositores da Amazônia com obras consagradas nas vozes de artistas como Clara Nunes, Alcione, Paulinho da Viola e Roberto Ribeiro. O ponto alto dos shows de Arthur Espíndola é sempre quando ele interpreta músicas de sua terra – carimbós e guitarradas – tocadas em ritmo de samba. No Rival, não vai ser diferente.

“Arthur Espíndola e o samba do Pará para o Brasil” – dia 7 – (quarta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 50 (inteira)
R$ 35 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 25 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

No dia 8, é a vez de uma belíssima homenagem a uma saudosa diva da nossa música. É o show da cantora Ithamara Koorax“Canções de amor: 100 anos de Elizeth Cardoso”. Uma das grandes vozes brasileiras reveladas nos anos 1990, Ithamara Koorax presta homenagem à sua madrinha artística Elizeth Cardoso num show emocionante, recriando seus maiores sucessos como “Nossos momentos” (Luís Reis e Haroldo Barbosa), “Canção de amor” (Chocolate e Elano de Paula), “Manhã de carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria) e “Barracão” (Luís Antônio e Oldemar Magalhães), numa grande retrospectiva da história do samba-canção. Chamada de “gogó de ouro” por Elizeth, Itamara participou do último disco da Divina, “Ary Amoroso”, e fica feliz em poder homenageá-la. Mas quem vai ficar feliz mesmo será o público que for conferir o espetáculo.

Ithamara Koorax em “Canções de amor: 100 anos de Elizeth Cardoso” – dia 8 (quinta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E vai ter festa no Teatro Rival Petrobras! E não é uma festa qualquer! No dia 9, os Golden Boys comemoram 60 anos de carreira com a promessa de uma noite especial cantando os clássicos da Jovem Guarda. O show é uma viagem no tempo através das canções que foram gravadas pelo grupo desde a primeira gravação em 1958 até os dias de hoje. O público pode esperar sucessos como “Alguém na multidão”, “Fumacê, “Erva venenosa” e “Andança”. O conjunto foi formado pelos irmãos Roberto, Ronaldo e Renato Correa, e o primo deles Valdir Anunciação. Com a morte de Roberto e Valdir, o grupo, atualmente, se apresenta com Ronaldo, Renato e outro irmão: Mário Correa, que foi integrante do Trio Esperança. Festa em família! Família da qual os fãs também se sentem integrantes.
Golden Boys celebrando 60 anos de carreira – dia 9 (sexta-feira), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 70 (inteira)

R$ 55 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 35 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E chega a vez do samba em agosto com o Arranco de Varsóvia comemorando 25 anos de estrada. O quarteto formado por Andrea Dutra, Cacala Carvalho, Elisa Queirós e Paulo Malaguti estreia, no dia 10, o show “Canta Cartola e Martinho”. Homenageados em projetos separados, no CD “Samba de Cartola” (1998) e no DVD “Pãozinho de Açúcar – Arranco Canta Martinho”, dois dos maiores nomes do samba e da música popular brasileira estarão juntos no palco com suas obras interpretadas pelas quatro vozes do Arranco. E se tem Cartola e Martinho no mesmo show, o repertório vai contar alguns dos mais importantes sambas da história, como “O sol nascerá”, “Disritmia”, “Divina dama” e “Canta, canta, minha gente”.

Arranco de Varsóvia canta Cartola e Martinho da Vila – dia 10 (sábado), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)

R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E como o Teatro Rival Petrobras é democrático. Se tem MPB e samba, também tem rock’n’roll. Agosto é o mês que marca os 42 anos do desaparecimento de um ícone do rock: Elvis Presley. Afinal de contas, Elvis não morreu, pelo menos não para seus fãs, que vão poder curtir os maiores sucessos dele no dia 13, no show da banda The Burning Love. É o Tributo a Elvis Presley, em que os sucessos do Rei do Rock serão lembrados em versões fiéis aos arranjos consagrados. No repertório, estão clássicos como “Heartbreak Hotel”, “Suspicious Minds”, “Fever”, “Always On My Mind”, “Sylvia”, “Bridge over troubled water”, “You’ve Lost That Lovin’ Feeling”, “My Way”, “Can’t Help Falling In Love” e “Love Me Tender”.

The Burning Love Band – Tributo a Elvis Presley – dia 13 (terça-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 50 (inteira)

R$ 35 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 25 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Diversidade, tua casa é o Teatro Rival Petrobras!

Dia 14 é dia de Drag Star, purpurinado concurso para drags de todos os estilos e tempo de carreira, com inspiração no formato de reality shows de talentos. O objetivo é encontrar a drag mais completa para receber o título de “Drag da Cidade: Rainha do Rival”. Apresentado pelas carismáticas Miami Pink e Ravena Creole, o concurso conta ainda com um time bafônico de juradas: Andreia Andrews, Chloe Van Damme, Palloma Maremoto e Samara Rios são as madrinhas e mentoras das candidatas selecionadas. Esta será a última etapa antes de chegar às batalhas do concurso, que anima mensalmente o Teatro Rival Petrobras.
Drag Star – dia 14 (quarta-feira), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 40 (inteira)

R$ 20 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

“De volta ao começo”. Título de uma música de Gonzaguinha que batiza o show que marca o retorno da cantora Joanna à alma da canção para celebrar seus 40 anos de carreira no Teatro Rival Petrobras, no dia 15 de agosto. Intérprete singular, que passeia com talento e segurança por vários gêneros musicais, Joanna promete um espetáculo em que a emoção será o destaque na interpretação de sucessos como “Descaminhos” e “Momentos”, ambas dela em parceria com Sarah Benchimol; “Recado”, de Renato Teixeira; e “Nos bailes da vida”, de Milton Nascimento e Fernando Brant. A cantora vai também fazer duas homenagens especiais: uma a Lupicínio Rodrigues, compositor ao qual dedicou o LP “Joanna canta Lupicínio”, em 1994; e outra a Gonzaguinha, autor de canções que ela gravou desde o primeiro LP, lançado em 1979, e que foi seu melhor amigo. Será um momento lindo no palco do Rival, onde Joanna vai dividir todas as emoções com seus fãs.

Joanna no show “De volta ao começo”, comemorando seus 40 anos de carreira – dia 15 (quinta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 70 (inteira)

R$ 55 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 35 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Falando em Gonzaguinha, o espetáculo “Gonzaguinha: o eterno aprendiz”, que já foi visto por mais de 15 mil pessoas e lotou o Teatro Rival Petrobras em junho passado, vai voltar à casa no dia 16 de agosto. Versão poética da vida e da obra do cantor e compositor, interpretado pelo ator Rogério Silvestre com cantores e uma banda de apoio, o roteiro conta passagens da vida do artista que iniciou sua trajetória ainda na década de 1960 em meio à ditadura. Com a proposta de preservar a memória da nossa música, a apresentação inclui 16 grandes sucessos de Gonzaguinha, a exemplo de “Explode coração”, “Começaria tudo outra vez”, “Sangrando”, “O que é, o que é?”, “Grito de alerta”, “Espere por mim, morena”. O público pediu, o espetáculo vai voltar.

“Gonzaguinha: o eterno aprendiz” – dia 16 (sexta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 70 (inteira)
R$ 35 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

O Teatro Rival Petrobras recebe, no dia 17, o Consulado da Portela de São Paulo no show “Família Reunida”, cantando as obras de Candeia e Monarco, dois baluartes da escola de samba de Oswaldo Cruz que nasceram no dia 17 de agosto – o saudoso Candeia em 1935, e Monarco, aniversariante do dia, em 1933. Na terra da garoa, o Consulado tem como missão promover encontros, seminários e debates sobre a Portela e seus personagens. No Rival, o grupo contará com Tuco Pellegrino, integrante da ala de compositores da escola, como convidado especial. E o repertório terá tanto sucessos de Candeia e Monarco, quanto obras desconhecidas e inéditas dos homenageados.

Consulado da Portela canta Monarco e Candeia – dia 17 (sábado) às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

A programação do Teatro Rival Petrobras de agosto também terá atração internacional. É a cantora hondurenha, radicada há 32 anos no Brasil, Indiana Nomma, que vai homenagear um ícone da música latino-americana no show “Tributo a Mercedes Sosa” nodia 20. Há 19 anos, Indiana vem apresentando esse espetáculo, que acaba de ser aplaudidíssimo na Argentina. Aqui ela vai se apresentar ao lado do violonista André Siqueira e do ator Tomas Ribas, ambos gaúchos. Chegou a vez de o público carioca curtir sucessos como “Volver a los 17”, “Duerme Negrito” e tantos outros imortalizados na voz de Mercedes Sosa, cantora-símbolo das lutas da América Latina contra o imperialismo. A proposta é convidar à reflexão pelos ideais de uma geração e seus herdeiros. Um convite ao respeito humano, à dignidade e à voz do povo.  Um convite a nunca se calar. Só podia ser no Teatro Rival Petrobras!

Indiana Nomma em “Tributo a Mercedes Sosa” – dia 20 (terça-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 50 (inteira)

R$ 35 (promoção para os 100 primeiros pagantes)

R$ 25 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Da música latino-americana para a arte transcendental. Afinal, o Teatro Rival Petrobras é a casa da democracia cultural! No dia 21, a atração é o drama espírita “Renúncia, o musical”, baseado no famoso romance de Emmanuel, psicografado por Chico Xavier, com adaptação e direção geral de Caíque Assunção, e direção musical de Antonio Sciamarelli. O espetáculo descreve a existência de Alcione, espírito que passa por uma encarnação de renúncias e dedicação a todos que o cercam, demonstrando heroísmo e lealdade na frívola Paris do reinado de Luís XIV. A montagem é da companhia teatral Mensageiros, fundada em 2000, que fez uma pesquisa histórica e produziu figurinos que remontam ao período entre os anos de 1670 e 1710.

“Renúncia, o musical” – dia 21 (quarta-feira), às 19h30
Com: Bethania Buckton, Caíque Assunção, Gustavo Xavier, Haroldo Mendonça, Lili Balonecker, Fabiana Salabett & grande elenco

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 30 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E o samba volta com toda a força no dia 22 com o show “Sambastião canta Ataulfo Alves”. Criada em janeiro de 2012, a Roda do Sambastião é hoje uma das mais prestigiadas rodas de samba do Rio. No Teatro Rival Petrobras, o grupo vai reverenciar o saudoso cantor e compositor Ataulfo Alves, num espetáculo com nova linguagem musical e inspirados arranjos. No repertório, estarão sucessos do artista como “Ai que saudade da Amélia”, “Atire a primeira pedra”, “Leva meu samba”, “Laranja madura”, “Pois é” e “Mulata assanhada”. A ideia é fazer uma viagem no tempo apresentando a vida e a obra de Ataulfo Alves de forma cronológica, pontuando com os sambas inesquecíveis.

Sambastião canta Ataulfo Alves – dia 22 (quinta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Ídolo que atrai uma legião de fãs para onde quer que se apresente, o cantor Ricky Vallen avisa com seu novo show: “Estou de volta”. Com repertório baseado em clássicos da MPB e novidades do próximo álbum – “Meu ponto cardeal”, a ser lançado no segundo semestre –, sem esquecer seus sucessos em trilhas de novelas, ele volta ao Teatro Rival Petrobras, onde seus seguidores podem compartilhar a atmosfera de intimidade e cumplicidade. É apresentação sob medida para os admiradores de Rick Vallen!

Ricky Vallen no show “Estou de volta” – dia 23 (sexta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 80 (inteira)
R$ 60 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 40 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Clássicos da música brasileira como “Travessia” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “A banda” (Chico Buarque), “Alegria, alegria” (Caetano Veloso) e “Pra não dizer que não falei de flores” (Geraldo Vandré) foram canções lançadas em festivais de música dos anos 1960. Essas e outras estão no espetáculo “MPB – a Era dos Festivais”, que depois de lotar duas vezes o Teatro Rival Petrobras, volta ao palco da casa no dia 24. Quem perdeu as apresentações anteriores não pode perder de novo. E quem já viu o show vai querer rever, até porque Edu Krieger (arranjos, violão e voz), Marcelo Caldi (teclados, acordeom e voz), Fabiano Salek (percussão), PC Castilho (sopros e voz) e a cantora Nina Wirtti sempre incluem novas músicas no repertório. Capriche na afinação e divirta-se cantando sucessos de todos os tempos da nossa maravilhosa música brasileira!

“MPB – a Era dos Festivais”, com Edu Krieger, Nina Wirtti e Marcelo Caldi – dia 24 (sábado), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Conhecido por sua trajetória no samba, o cantor e compositor capixaba Chico Alves promete mostrar seu talento de intérprete no Teatro Rival Petrobras, no dia 27.Parceiro de craques como Moacyr Luz e Fagner, o artista vai mergulhar na obra de Belchior, morto em 2017. No repertório do show “Chico Alves canta Belchior”, estarão músicas pouco conhecidas e, claro, muitos sucessos, como “A palo seco”, “Coração selvagem”, “Como nossos pais” e “Alucinação”. É show para emocionar os eternos fãs de Belchior!

Chico Alves canta Belchior – dia 27 (terça-feira) – às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 40 (inteira)
R$ 20 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Só no Teatro Rival Petrobras a briga por um trono pode virar um espetáculo divertido, irreverente e glamuroso! É o espetáculo “The Queen”, atração do dia 28, sob o comando da turbinada drag queen Samara Rios. “The Queen” é um show de talentos inspirado no programa The Four Brasil, exibido pela TV Record, versão de The Four: Battle for Stardom, dos Estados Unidos. O show reunirá quatro drag queens que já venceram outros concursos importantes da cena LGBTQ+ carioca e novas que tentarão tomar o trono das veteranas. O objetivo é manter viva a cena drag, atraindo um público diversificado.

The Queen, com Samara Rios, Lorena Simpson, Wander Brasil e Miami Pink – dia 28 (quarta-feira), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 40 (inteira)
R$ 20 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

O Teatro Rival Petrobras abre as portas no dia 29 para as comemorações de 14 anos da banda carioca Nave de Prata, que bebe na fonte do lirismo mineiro. A festa é com o show “Nave de Prata canta Clube da Esquina e Minas”, mostrando as influências do grupo: 14 Bis, Flávio Venturini, Lô Borges, Beto Guedes, Clube da Esquina e O Terço. E o espetáculo vai ter convidados especiais também! Um deles é o padrinho da banda, Sérgio Magrão, baixista e vocalista do 14 Bis. O outro é o baixista Cezar de Mercês, da lendária banda de rock progressivo O Terço, da qual também fizeram parte Vinícius Cantuária, Sérgio Hinds e dois integrantes do 14 Bis – o próprio Magrão e Flávio Venturini. É justamente seguindo os passos dos veteranos que a Nave de Prata firma os olhos num futuro bastante promissor, digno de quem faz aquilo em que realmente acredita. Essa moçada está no caminho certo: Talento, coração, juventude e fé. Quatro ótimos motivos para o público conferir a apresentação do dia 29.

Nave de Prata canta Clube da Esquina e Minas – dia 29 (quinta-feira), às 19h30

Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B
R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

Quando a cantora Marianna Leporace fez um desabafo nas redes sociais, em 2016, para falar da grandeza da arte do cantor e compositor Chico Buarque encontrou a solidariedade de muitos outros artistas. Desse movimento, surgiu a ideia de reverenciar a obra de Chico reunindo grande elenco de cantores e músicos. É esse o objetivo do espetáculo “Meu caro amigo Chico Buarque”, que vai ocupar o Teatro Rival Petrobras no dia 30 de agosto. A banda é formada pelos pianistas Deborah Levy, Felipe Radicetti e Sheila Zagury; pelo baixista Dôdo Ferreira; pelo violonista Fabio Nin; pelo flautista Guilherme Hermolin e pelos bateristas Luisinho Sobral e Otavio Garcia. O time de intérpretes é grande: Amanda Bravo, Andrea Ernest Dias Trio, Antonio Guerra e Silvério Pontes, Arranco de Varsóvia, Cecília Rangel, Danny Reis, Eliane Tassis, Folia de 3, Ivan Azevedo, Kika Tristão, Lu Oliveira, Lucas Bueno, Lúcia Menezes, Lúcio Sanfilippo, Márcio Thadeu,  Marianna Leporace, Martha Moreno, Mauricio Detoni, Ninah Jo, Quarteto do Rio, Rômulo Gomes, Simone Lial e Solange Pellegrini. No repertório, estarão sucessos como “As vitrines”, “Joana Francesa”, “Cálice”, “Deus lhe pague”, “Trocando em miúdos”, “Carolina”, “Todo sentimento”, “Homenagem ao malandro” e muitos mais.

“Meu caro amigo Chico Buarque” – dia 30 (sexta-feira), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 70 (inteira)
R$ 55 (promoção para os 250 primeiros pagantes)
R$ 35 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)

E depois de homenagem a Chico Buarque, tem também a Milton Nascimento. Como sucesso é sempre bem-vindo e merece ser reprisado, o Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos volta ao Teatro Rival Petrobras para fechar bonito a programação de agosto ao som de “Bitucanto – Uma homenagem a Milton Nascimento”. Com participações especiais dos cantores Zé Renato (integrante do grupo Boca Livre) e Débora Braga (vocalista da banda Equale, grupo vencedor do 29° Prêmio da Música Brasileira), o show também contará com verdadeiras obras-primas de Milton, como “Maria, Maria”, “Nos bailes da vida” e “Caçador de mim”. O coral de 30 integrantes apresenta-se sob a batuta do professor e maestro José d’Assumpção Jr.
Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos no espetáculo “Bitucanto – Uma homenagem a Milton Nascimento” – dia 31 (sábado), às 19h30
Setor A / Mezanino A / Setor B / Mezanino B

R$ 60 (inteira)
R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes)
R$ 30 (estudante/idoso/professor da rede pública municipal/funcionário Petrobras/assinante O Globo)